sexta-feira, 27 de março de 2015

Sete desculpas esfarrapadas para a procrastinação


1- “Eu não preciso fazer isso agora…”
O grande pai de todas as desculpas para a procrastinação. Tão sedutora porque é tão verdadeira. Há muitas coisas que realmente não precisamos fazer naquele momento em que estamos tentando achar uma desculpa para procrastinar, mas muitas dessas coisas que não somos “obrigados” a fazer, fazem a maior diferença dos resultados que acabamos obtendo na vida.

Quando damos essa desculpa, o que estamos realmente dizendo é: “Eu não quero fazer isso, e estou secretamente esperando ou que o problema vá embora ou que eu, eventualmente, me sinta motivado a resolvê-lo”. Muitos de nós usam essa desculpa sabendo que estamos procrastinando – esperando por aquela onda de animação e adrenalina que nos fará passar a noite acordados e terminar, com “sucesso”, a tempo. Outras frases comuns incluem: “Tem bastante tempo” e “Eu posso fazer amanhã”.

2- “Vou começar mais tarde”
Soa familiar? Eu sei que eu já disse isso. Alguns dos meus exemplos preferidos dessa desculpa incluem “Vou começar” – depois de lavar a louça, depois de arrumar a minha mesa, depois de fazer uma última ligação…
Isso é procrastinação, plena e simples – não queremos fazer as tarefas difíceis que deveríamos estar realmente fazendo e as adiamos dando desculpas e fazendo “só mais uma coisinha”. Essa “mais uma coisinha” geralmente acaba sendo a última coisa que fazemos antes de dar outra desculpa, geralmente relacionada ao tempo.

3- “Não é o momento certo”
Sabe, às vezes o momento realmente não é o certo, mas normalmente isso é somente uma desculpa, pois nunca será o momento certo.
Dizer que o momento não é o certo é somente uma desculpa que usamos para racionalizar o por quê de não estarmos buscando nosso objetivos e sonhos. Nós culpamos a situação – mesmo sabendo que, se motivados o suficiente, poderíamos criar o momento certo, agora.
“Se esperarmos pelo momento em que tudo, absolutamente tudo, estará pronto, talvez nunca comecemos.” (Ivan Turgenev)

4- “Não é tão importante assim”
Ou nossos objetivos e sonhos são importantes para nós, ou não são. Com muita frequência, eu vejo pessoas começarem a trilhar seus caminhos em direção a um sonho que é verdadeiramente importante para elas – e depois paralisarem. Elas se deparam com uma ponte que é difícil de atravessar e se desanimam. 

Eventualmente, talvez por causa do medo do fracasso, talvez por preguiça, ou simplesmente por conta de tarefas desagradáveis, achamos que nossos objetivos não eram assim tão importantes – e os adiamos.

5- “Não tenho informações suficientes para poder começar”
Isso geralmente começa sendo verdade. Digamos que você está tentando perder peso. Você sabe que a coisa inteligente a se fazer é buscar alguns conselhos nutricionais, então você lê alguns livros e começa a fazer pesquisas. É aí que o problema começa – talvez seu objetivo comece a parecer difícil ou você não tenha certeza do que fazer. Você começou com uma preparação responsável, mas com o tempo, ela se tornou um bode expiatório que você usa como desculpa para nunca começar – você está sempre se preparando para começar.
Uma segunda opção, que pode ser ainda pior, é quando você para de aprender qualquer coisa nova, mas continua pesquisando mesmo assim. Angariar informação dessa forma, sem pô-la em prática, é apenas entretenimento mascarado de planejamento.

6- “Algo aconteceu…”
Às vezes, essa é uma desculpa legítima. Mas muitas vezes é apenas um bode expiatório conveniente que usamos quando chegamos a um ponto em que gostaríamos de deixar nosso projeto em segundo plano – talvez indefinidamente.
Lembre-se: a maioria das pessoas que conquistou seus objetivos não teve o luxo de uma vida sem interrupções.

7- “Eu tenho muitas outras coisas pra fazer agora”
Essa é a armadilha mais sorrateira e perigosa em que caímos. Ficamos cada vez mais ocupados e, um dia, adiamos uma tarefa ou um objetivo importante. Esse dia se transforma em dias, em semanas, em meses – e até em anos. Sentamos e esperamos por um dia – aquele dia elusivo em que estaremos menos ocupados e poderemos fazer o que queríamos.
O problema com essa desculpa é que é quase garantido que esse dia mítico nunca vai chegar. Via de regra, você provavelmente não terá mais tempo no futuro. Se você tem muitas coisas a fazer agora, você provavelmente continuará tendo muitas coisas a fazer e, na verdade, as chances de que você esteja mais ocupado no ano que vem do que está este ano são grandes.

Procure saber por que você está tão ocupado e pergunte-se: você está fazendo coisas que não são tão importantes para você quanto os objetivos em que você gostaria de trabalhar? É possível que o medo do fracasso esteja fazendo com que você use essas tarefas de menor valor como desculpa para adiar o que mais importa para você?
E se você realmente tem coisas demais que você tem que fazer o tempo todo, talvez seja uma questão de priorização – e você vai ter que separar o urgente do importante.
O que você acha?
Essas são apenas algumas das desculpas comuns que eu ouço – e às vezes dou. O que você acha? Alguma desculpa que gostaria de adicionar?
 Fonte: http://www.sonhosestrategicos.com.br/administracao-do-tempo/desculpas-procrastinacao

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esse texto