terça-feira, 4 de novembro de 2014

CAUSA E EFEITO - VOCÊ CONSTRUINDO A SUA REALIDADE...




CAUSA E EFEITO - VOCÊ CONSTRUINDO A SUA REALIDADE...

Dizem que para tudo o que existe, há uma causa anterior. Ora, não vamos entrar aqui em discussões teológicas a fim de remontar à existência de um deus, para em seguida, você atribuir a ele a causa de todas as coisas e principalmente da tua vida.

Aliás, este raciocínio, levou certos gurus do além a dizer que, se deus é a causa primária de todas as coisas, logo ele é a causa primária das ações e até dos pensamentos das pessoas.

Causa é sempre você, e isso tanto faz conceber se você é um espírito ou um ser humano. E se você for uma uma manifestação de deus? Neste caso, se é deus que está manifestado através do teu corpo e da tua mente, como se poderá aceitar que ele cria ou escolhe um sofrimento para você sofrer? Estranho não?

Logo, é você mesmo quem cria a tua realidade. Este pressuposto é bem mais complexo do se pode imaginar, pois, significa que se você está sofrendo é você mesmo quem está criando este sofrimento.

Mas, como assim? Caiu uma tempestade e inundou minha casa; o outro me caluniou; fulano não gosta de mim... Como sou eu mesmo (a) que estou escolhendo essas coisas para mim?

Isso são fatos e não propriamente um problema, pois, pessoas diferentes podem reagir de modo diferente ao mesmo fato como ter sua casa inundada, ser caluniada ou se há pessoas antipáticas no seu caminho. Logo, está no teu poder de escolha, optar por criar o desequilíbrio interno ou não, diante de tais fatos ou de quaisquer outros.




A REALIDADE CRIADA É SIMBÓLICA

Realidade, Vida, Mundo, Universo, tudo isso é efeito e não causa. Se há anjos e espíritos que criam universos, galáxias, sóis e mundos, quem é que cria a realidade social e coletiva? São as pessoas, pois, aquilo que sociedade é, suas leis, tradições, crenças, é efeito. Quem está causando essas leis, tradições, crenças, costumes são as pessoas de modo coletivo. E você, como pessoa, como indivíduo também ajuda a criar esta realidade coletiva.

Seguindo esse raciocínio, a tua vida, ou seja, aquilo que acontece com você é efeito e não causa. A causa da tua vida, do que te acontece é você, pois não é possível que outros estejam criando uma vida para você viver. Podem criar fatos, circunstâncias, mas em última instância é você quem escolhe de que maneira irá vivenciar esses fatos e circunstâncias.

Segue-se que a Realidade é representativa, simbólica, porque sendo ela efeito, ela é apenas uma representação do teu estado interior. Se você como causa, gera para você mesmo bem estar, conforto, e vê o mundo como bom, vê as pessoas como boas, esta realidade não existe independente de você, mas ao contrário, é você quem está criando a mesma. Logo, a realidade externa é simbólica, representativa. Quem cria a realidade é você. A causa é real, o efeito é uma representação da causa e não a própria causa.




NÃO EXISTE VIDA, SÓ EXISTE VIVER

Assim, é a partir do teu viver que você cria a tua vida. Geralmente as pessoas entendem por "Vida", algo estático, imutável, absoluto, determinista, ou seja, as pessoas vêem a Vida como causa.

Contudo, não existe vida, só existe viver, pois é o viver que cria a vida. O teu modo de viver (causa) gera a tua vida (efeito), assim como na realidade coletiva, o modo de viver coletivo (causa) gera a vida coletiva (efeito).

Se é você quem causa a tua vida a partir do teu viver, logo você é o único responsável por ter uma vida boa ou ruim. Se você é a causa, logo, você gera o efeito que quer, dependendo do teu desejo.




OBJETIVO E ESTRATÉGIA

Sendo você mesmo o criador da tua realidade, como se explica que você e a maioria das pessoas estão a maior parte do tempo construindo uma realidade ruim para si próprios? Ou seja, por que você sendo o causador da tua realidade, sempre está causando uma realidade de desconforto, preocupações e sofrimento para si mesmo?
A resposta é, porque você confunde Objetivo com Estratégia.

OBJETIVO

Objetivo é o viver bem, confortável, ou seja, ser feliz. Este é o objetivo de todos. O mal não existe. Não existe uma pessoa tentando fazer o mal para outra com o objetivo de ficar mal com isso. O que existe é uma pessoa tentando realizar o Objetivo. Se para ela ver o outro caído, mal, sofrendo, lhe faz bem, então com isso ela julga estar realizando o Objetivo. Então, o Objetivo é um só para todos: ser feliz. O que muda é a estratégia para alcançar o objetivo.

ESTRATÉGIA

Estratégia é a escolha que você faz para realizar o objetivo. Há duas estratégias somente para a realização do Objetivo.

1- Egoísta: é a estratégia em que você ignora ou abdica da condição de CAUSADOR da tua realidade, para esperar que os outros causem a realidade esperada por você.
A estratégia egoísta pode ser de duas formas:

1.1. Egoísta-impositiva - quando você quer determinar o comportamento dos outros. O outro deve ser, agir, pensar, viver e se comportar de maneira que isto gere satisfação em você. Quando o outro não age, pensa, vive e se comporta da maneira que você espera, você sofre com isso. Logo, a estratégia de busca do Objetivo baseada no egoísmo impositivo, não funciona, pois ela gera sofrimento. Assim, na estratégia egoísta-impositiva você não permite o outro ser, estar, fazer, se comportar como quiser, e decidir por ele mesmo. Você quer fazer isso por ele, pois exige que ele seja do jeito que você quer e não aceita ele COMO ELE É.

1.2. Egoísta-submissa - quando você, para agradar o outro, para ser aceito, para ser estimado, não se permite ser você mesmo. Você se sacrifica, deixa de ser você mesmo, não respeita a sua maneira de ser, pensar, agir, se comportar e decidir por você mesmo. Assim, você espera a aprovação, a aceitação do outro, e com isso, deixa o outro decidir por você. Esta estratégia de busca do Objetivo não funciona, porque gera sofrimento e auto-insatisfação, desconforto, medo e auto-fracasso.


2- Autocentrista (ou Autoísta). Aqui foi preciso criar o neologismo, pois qual é o contrário de egoísmo? Altruísmo? Mas o altruísmo é também uma forma de egocentrismo ou egoísmo, pois, quando você está disposto a ajudar o próximo, o outro, você está querendo na verdade DECIDIR por ele. Exemplo é que, as pessoas dão um prato de comida para um mendigo, mas raramente sacam uma nota de 10, 20 ou 50 reais para o mendigo fazer o que bem quiser com o dinheiro. Então você está querendo decidir por ele, ou seja, está sendo um egoísta-impositivo e chamando isso de altruísmo. Por outro lado, sempre há o interesse pessoal por detrás, quando se quer ser altruísta. Então você quer ser altruísta para notarem o quanto você é importante e bom. Isso é egoísmo-submisso disfarçado...
 
Logo, o antônimo de Egoísta é Autocentrista ou Autoísta, ou seja, é aquele que está centrado em si mesmo e não no outro.

Autocentrismo é a estratégia a partir da qual você realiza o Objetivo, pois, por um lado, nessa estratégia, você dá liberdade para o outro ser, estar, fazer e se comportar do jeito que ele quiser, sem que você se contrarie com isso. Você não quer decidir, pensar e viver pelo outro, pois reconhece que o outro tem as suas próprias crenças, a sua própria verdade, e que ele tem o direito de errar e viver a sua vida como melhor lhe aprouver.

De outro lado, nessa estratégia, você se permite ser você mesmo: assim como dá ao outro a liberdade dele ser, estar, pensar e decidir por si próprio, você também se permite ser como você é, viver como você vive, pensar do teu jeito e tomar as próprias decisões, sem ficar cogitando sobre o que os outros vão pensar de você. Você não age para agradar, ser aceito e aprovado pelas pessoas. Mas age de acordo com a tua verdade, vive, pensa e decide aquilo que é melhor para você e não aquilo que os outros acham que é melhor para você.

Resumindo, estratégia Egoísta gera sofrimento; estratégia Autocentrista gera felicidade, ou seja, você atinge o Objetivo.




LIVRE ARBÍTRIO

Do exposto, livre-arbítrio é a capacidade que você tem de escolher entre a estratégia Egoísta ou Autocentrista para realizar o Objetivo. Você não escolhe o jeito que as coisas, a vida e o outro devem ser. Ou seja, você sabe agora que, tentar escolher pelo outro, é também uma escolha que você faz. Ela não é errada, inadequada ou anti-ética, mas é equivocada, pois que, leva ao sofrimento.

Por outro lado, você sabe que é possível escolher por você mesmo, como vai viver, que profissão quer ter, e principalmente tomar as próprias decisões.

Nisto consiste o nosso livre-arbítrio.




AUTO-REALIZAÇÃO

Auto-realizar-se é a capacidade que um ser - pedra, planta, animal ou ser humano - tem de realizar o seu próprio potencial.

A realização do potencial da água é correr pelos rios, servir ao fim a que se destina. A realização do potencial de uma planta é crescer, vicejar, dar frutos. A realização do potencial de uma laranjeira é dar laranjas. Imagine uma laranjeira tentando dar bananas ou pêssegos... ela estaria tentando ser "outro" que não ela mesma, e nesse sentido sofreria. A realização do potencial de um cão é ser fiel ao seu dono. E a realização do potencial de um ser humano, qual é? Se a laranjeira dá laranjas, se a água dá vida, se a planta dá frutos, você dá o que? Você dá você mesmo, você é pé de você mesmo, e nisto consiste a auto-realização de um ser humano.




VOCÊ CAUSANDO A REALIDADE DESEJADA

Você é causa e efeito de si mesmo. Não é a vida, as pessoas, o mundo que causa a tua realidade, ao contrário, é você a causa da tua vida.

Não é o produto que cria a fábrica, é a fábrica que cria o produto. Não existe jogo sem jogador. Não existe corrida sem pilotos. Não é o jogo, não é a corrida que está gerando os jogadores e os pilotos, são os jogadores, os pilotos que estão criando o jogo e a corrida.


Do mesmo modo, você é o jogador, o piloto que conduz você mesmo ao pódio ou não. E você é livre para tentar quantas vezes forem necessárias, até acertar o gol, ou cruzar a linha de chegada e subir ao teu pódio, que é você auto-realizado.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esse texto