sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Poder Pessoal - Luiz Antônio Gasparetto (áudio)





 
 
PODER PESSOAL

Uma das coisas que faz com que nós percamos o poder é a vaidade. A vaidade é uma ilusão. Mas é uma ilusão aterradora, porque ela destrói completamente a nossa vida e tudo aquilo que nós fazemos. Na verdade, vaidade é assim: a ilusão de que eu vivo com o do outro; é uma coisa de infantilidade, de dependência. É uma coisa de desfoque de si mesmo, de ignorância: “se você me amar, então eu vou ser feliz”. Não, mentira.

Ninguém sente dentro de si o amor do outro. Quando você ama você tem amor. Enquanto você não amar, você não tem o sabor do amor. ...

“Não, quando todo mundo me aceitar eu vou me sentir maravilhoso”. Não. A aceitação do outro está dentro da constituição dele. Você não pode viver na constituição do outro. Quando você se aceitar, aí você vai se sentir gostoso, porque é o teu sentimento.

Veja bem: você está divido, individualizado nesse sentido; você vive com aquilo que você tem, com as suas emoções, com os seus sentimentos, com a sua cabeça, e não com a do outro.
Nós passamos a maior parte da vida vivendo essa ilusão, e querendo ser para o outro “me”...

Tem sido assim a tua vida: receber o aplauso, a consideração, a estima, o respeito, receber a valorização, a aceitação, o apoio, o prestígio, e para tal, você se submete a ser a pessoa [que você não é], sacrifica o teu próprio espírito para agradar, esquecendo a tua verdade, rejeitando quem você é para ser aquilo que os outros esperam de você.

Luis Antônio Gasparetto
 
 

 

Assuma o seu Auto-poder - Mooji

 
 
"Este é seu poder! Você determina se algo acontece ou não. A menos que a mente diga 'algo está acontecendo', efetivamente ou de modo experimental, nada aconteceu! Se não ficou registrado na consciência (através da atenção), efetivamente, na...da aconteceu.
 
Assim, se algo aconteceu ou não, é você quem decide! E é também você a determinar se vai designar um acontecimento ou não. Não lhe será imposto. Este é seu poder: você desconsidera, aquilo não aconteceu! Mas, se seu interesse está em alguma coisa, subitamente... acontece.
 
Qual é o remédio para todas estas coisas? Permaneça apenas como o observador. Mantenha a atenção em neutralidade. De início, parece que vai requerer algum esforço. Porém, com um pouco de resolução de sua parte, torna-se simples. Você tem alguns poderes: primeiro, o poder da atenção, pois, onde quer que a atenção toque, isso é registrado como experiência. Segundo, sua crença! Qualquer coisa pode aparecer em sua consciência, mas, se você não acredita nela, se não se identifica com ela, não tem nenhum poder! Um pensamento, sem crédito, não tem poder! Nem tudo que surge (na mente) precisa ser aceito, precisa ser procurado. Você pode ignorar!
 
Esta é a grande Mestria dos Sábios. Eles começaram a ignorar! Não que tenham desenvolvido alguma técnica, mas simplesmente por reconhecer 'Eu Sou a Realidade!', 'Eu Sou a Consciência!', tudo mais não passa de turismo! Todo pensamento, toda emoção é apenas um turista, sim, e eu mesmo não sou um hotel para estes pensamentos, que eles venham e logo partam! A experiência deve acompanhar sua resposta, o que pode criar modificações ou algum impacto em você? Tudo está acontecendo por si mesmo e em sua presença - quem é você? Chamo isso de estar estabelecido em seu próprio Ser!"

Mooji
 
 
 
 

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

NAS MÃOS DO DESTINO

 
 
Um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo, embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas.


No caminho para a batalha ele parou em um templo Shinto e disse aos seus homens:


Após eu visitar o relicário eu jogarei uma moeda. Se a Cara sair, iremos vencer; se sair a Coroa, iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos.”


Nobunaga entrou no templo e ofereceu uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A Cara apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente.


Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso:


Ninguém pode mudar a mão do Destino!


Realmente não…” disse Nobunaga mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a Cara impressa nos dois lados.