sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O essencial é saber ver





O que nós vemos das coisas são as coisas.
Porque veríamos nós uma coisa se houvesse outra?
Porque é que ver e ouvir seria iludirmo-nos
Se ver e ouvir são ver e ouvir?


O essencial é saber ver,
Saber ver sem estar a pensar,
Saber ver quando se vê,
E nem pensar quando se vê,
Nem ver quando se pensa.


Mas isso (triste de nós que trazemos a alma vestida!),
Isso exige um estudo profundo,
Uma aprendizagem de desaprender

E uma sequestração na liberdade daquele convento
De que os poetas dizem que as estrelas são as freiras eternas
E as flores as penitentes convictas de um só dia,
Mas onde afinal as estrelas não são senão estrelas
Nem as flores senão flores,
Sendo por isso que lhes chamamos estrelas e flores

Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O que é o ego? Como ele é construído socialmente?




 O ego é esse eu criado socialmente, esse eu alienado (Alienado = "fora de si", "inconsciente"), que é produzido pela cultura. Como tal, ele é um eu simbólico. Ele é simbólico porque é criado à imagem e semelhança dos valores ideológicos dominantes, e assim, o ego - na sua totalidade corpo/mente de um ponto de vista não dual - é como se fosse um hardware em que é instalado softwares ou programas, que não são senão as programações que dizem o que ele é, o que ele deve tornar-se, como ele deve comportar-se, do que ele deve gostar, o que ele deve almejar na vida, o que ele deve desprezar e repudiar, o que ele deve amar e odiar, como ele deve agir, porque ele deve consumir e também, o porquê dele dever sempre buscar a riqueza e evitar a pobreza; buscar a fama e fugir da infâmia; buscar ser feliz e evitar a todo custo ser infeliz; buscar ser amado e evitar ser detestado e assim por diante.

E, assim, a ideologia dominante coloca o ego no banco dos réus: o ego será culpado pela sociedade toda vez que, não somente não seguir, mas não atingir aqueles objetivos colocados como os primários e legítimos pela sociedade como tornar-se rico, culto, inteligente, querido, triunfante, bem quisto socialmente e etc.