terça-feira, 19 de junho de 2012

Eu Sou Brahman





Brahman é supremo. É a realidade - o um sem um segundo. É pura consciência, livre de qualquer mácula. É a própria serenidade. Não tem começo nem fim. Não conhece mudanças. É alegria eterna.

Brahman transcende a aparência do múltiplo, criado por Maya. É eterno, perpetuamente fora do alcance da dor; é indiviso, imensurável, sem forma, sem nome, indiferenciado, imutável. Ele brilha com a Sua própria luz. Está em todas as coisas que podem ser conhecidas neste universo.

Os videntes iluminados O percebem como a realidade suprema, infinita, absoluta, sem partes - a pura consciência. E n'Ele descobrem que o conhecedor, o conhecimento e a coisa conhecida se tornam unos.

Eles O conhecem como a realidade que não pode ser rejeitada (já que Ele está sempre presente na alma humana) nem aprendida (já que ele está além da mente e da palavra). Sabem que Ele é imensurável, sem princípio, sem fim, supremo em Sua Glória. Eles compreendem a verdade: "Eu sou Brahman".


IN: A Jóia Suprema do Discernimento, Shankara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esse texto