domingo, 13 de maio de 2012

Como sair da Roda do Samsara II




Por Máscaras de Deus

A busca não logra êxito para a maioria dos buscadores, por um erro crasso de concepção: Deus deveria existir para que trousesse justiça e felicidade na Terra, e contudo, o que vemos é precisamente o oposto.

Como, pois, conciliar a idéia de um Deus justo, bom, sábio e onipotente com a existência do mal no mundo? Não é essa a questão - a única que realmente interessa -que inutilmente todas as religiões e religiosos tentam responder? Se Deus é perfeito, e tudo é criação sua, como Ele pôde criar algo imperfeito como o ser humano? Não é contraditório? :roll: Algo não se coaduna com o bom senso: vamos supor apenas que Deus seja onisciente. Ora, se ele cria o homem, então sabe de antemão que o homem vai errar, que vai fazer o mal, e no entanto, por que permite? Não seria como o fabricante de brinquedos que, mesmo sabendo que o brinquedo apresentará problemas e poderá machucar e ferir as crianças, mesmo assim vai lá e fabrica? Quando o brinquedo quebra e machuca a criança, a culpa é de quem? Do brinquedo ou do fabricante?

As religiões dualistas - todas - dizem que a culpa é do brinquedo. Ora, supondo que esse fabricante de brinquedos seja perfeito, incapaz de produzir um brinquedo com problemas, como se poderá supor que de suas mãos saia um brinquedo defeituoso? A resposta das religiões dualistas é que o brinquedo sai perfeito das mãos do fabricante, mas com o tempo ele vai ficando imperfeito.

Como surge essa imperfeição? Segundo a Doutrina Espírita, surge a partir do exercício do livre-arbítrio. O homem - o brinquedo - tinha saído perfeito das mãos do criador ("simples e ignorante"), mas, com o tempo, devido ao uso do livre-arbítrio, ele escolheu entre o bem e o mal, e preferiu o mal.



O nosso mundão cheio de problemas, nos diz que a maioria de nós escolhe o mal, e vejam que, escolhe, mesmo sabendo que no futuro, na outra reencarnação, haverá que se ceifar carmas dolorosos, como aleijões, problemas mentais, misérias, e todo o tipo de infortúnios e desgraças. Ora, se o religioso principalmente já sabe de antemão que colherá isso na outra vida, por que ainda assim escolhe fazer o mal?

"Eu não sou do mundo, por isso o mundo me odeia" (Jesus).

"O ser humano é inimigo de Deus" (Paulo de Tarso)

Segundo a Doutrina Espírita, os Espíritos que foram criados "simples e ignorantes", são "o elemento inteligente da criação; povoam o Universo FORA dos mundos materiais; preexistem e sobrevivem a tudo" :shock: Ora, como então o Espírito encarnado poderá acreditar que ele é esse corpo e essa mente que ele "encena", esse personagem que ele representa?

A Doutrina ainda diz que, para o Espírito sair dessa "simplicidade e ignorância", ele precisa ser submetido a provas. Para isto, o Espírito escolhe encarnar no mundo material e viver uma certa prova. E então, porque este mundo é tão ruim? Porque a prova não ajuda o aluno, o que ajuda é ter estudado antes, ou seja, estar preparado para enfrentá-la.

O mundo é mundo desde que é mundo! Desde que existe! O mundo deve ser comparado a uma escola de arte marciais, em que, mediante disciplina, esforço e dedicação, o praticante alcança um objetivo. Decerto ele não gosta de ficar lá fazendo exercícios e memorizando técnicas. Mas sabe que é preciso submeter-se a esse regime para estar capacitado a enfrentar o seu oponente.

O mundo é uma escola então, e assim como na academia de artes marciais, não gostamos de ir à escola, porque lá há um regime, regras a serem observadas e trabalhos a serem feitos, e no final, do mesmo modo que a obtenção da faixa pelo praticante da arte marcial, o aluno é provado para saber se ele aprendeu tudo aquilo que lhe foi ministrado. Quem é o nosso oponente? É esse EU, fruto dessa mente que fica nos contando estorinhas sobre o que somos, o que estamos fazendo e o que está acontecendo conosco em termos materiais (Depois retomaremos essa questão)

Erro é ter o mundo como realidade. E nem precisamos filosofar muito, pois a morte é o FATO CRUCIAL que demonstra a condição de impermanência e irrealidade do mundo.

Assim sendo, o que é o real? Quem sou eu? O que faço aqui? Para onde vou? Por que estou passando por isso e por aquilo? Busque saber! Investigue!


http://portalespirito.com/forum/viewtopic.php?f=12&t=6033

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esse texto