segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Noite de São João



Noite de S. João além do muro do meu quintal.
Do lado de cá, eu sem noite de S. João.
Porque há S. João onde o festejam.
Para mim há uma sombra de luz de fogueiras na noite,
Um ruído de gargalhadas, os baques dos saltos.
E um grito casual de quem não sabe que eu existo.

IN: Poemas Inconjuntos, Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esse texto