quinta-feira, 28 de julho de 2011

O que é a Filosofia Oriental




Por Filosofia Oriental entendo uma Epistemologia dentro da Teoria do Conhecimento, como fica bem claro neste vídeo do Tarananda Sati, cujos conhecimentos reúnem a sabedoria oriental com o conhecimento filosófico e científico ocidental.

http://www.youtube.com/watch?v=evAcojNxCDI

A questão é que, a ciência moderna, foi desenvolvida a partir da filosofia ocidental, mas ela desdenhou as considerações de Sócrates (que é o fundador da Filosofia propriamente dita) e Platão, cujos ensinamentos são similares às instruções dos mestres (filósofos) orientais.

Até mesmo os professores de Filosofia se "embanam" todos quanto à explicação da Alegoria ou Mito da Caverna, porque não têm, em sua maioria, conhecimento da Filosofia ou Misticismo Oriental.



terça-feira, 26 de julho de 2011

A Alma e Sua Escravidão



Nós somos o Ser Infinito do universo e ficamos materializados nesses seres pequeninos, homens e mulheres, que dependem da palavra doce de um homem, ou da palavra irada de um outro e assim por diante. Que dependência terrível, que horrível escravidão! Se você belisca meu corpo, sinto dor. Se alguém diz uma palavra carinhosa, fico alegre. Veja minha condição – escravo do corpo, escravo da mente, escravo do mundo, escravo de uma boa palavra, escravo de uma palavra má, escravo da paixão, escravo da felicidade, escravo da morte, escravo de tudo! Esta escravidão tem de ser rompida. Como? Pense sempre: “Eu sou Brahman.”


IN: Meditação e Métodos - Swami Vivekananda

Fonte: http://mascarasdedeus.forumeiros.com/t134-a-alma-e-sua-escravidao#300

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Antropologia do Conhecimento e Física Quântica



Allan Kardec pode ter antecipado algumas conclusões da Mecânica Quântica quando disse que "os sabores, os odores e as cores só existem para os sentidos destinados a percebê-los" - questão no. 32 de O Livro dos Espíritos.

As idéias da Mecânica Quântica têm sido utilizada pelos pesquisadores em Sociologia e Antropologia para criticar a visão dualista de mundo, advinda do que eles chamam de "cartesianismo" (separação entre corpo e mente) e "newtonianismo", a metáfora do mundo e do ser humano como um relógio, ou como uma máquina (deus ex machina) cujas partes, podem ser estudadas e conhecidas isoladamente.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A Consciência Criativa - Excertos do livro "O homem à procura de si mesmo", Rollo May




A consciência Criativa: conquistando a Liberdade a partir da negação das autoridades constituídas

O homem é um “animal ético” – ético em potencialidade, ainda que, infelizmente, na realidade não o seja. Sua capacidade de juízo ético – como a liberdade, a razão e as outras características exclusivas do ser humano – baseia-se na consciência de si mesmo.  

Há alguns anos, o Dr. Hobart realizou uma notável experiência no laboratório psicológico de Harvard. A finalidade era testar o senso “ético” dos ratos. Poderiam eles avaliar a longo prazo as boas e as más conseqüências de seu comportamento e agir de acordo? Bolinhas de comida foram lançadas num recipiente, diante dos animais esfomeados, mas segundo o plano eles teriam que aprender uma espécie de etiqueta – esperar três segundos antes de agarrar o alimento. Se não esperassem receberiam um castigo na forma de um choque elétrico no fundo da gaiola.


quarta-feira, 13 de julho de 2011

O Homem: construtor do seu destino



O HOMEM, CONSTRUTOR DO SEU DESTINO

Os homens fracos, quando perdem tudo e sentem-se enfraquecidos, tentam toda espécie de disparatados métodos de fazer dinheiro e inclinam-se para a astrologia e todo tipo de coisas. "São o tolo e o covarde que dizem: "É o destino". Mas é o homem forte que se ergue e diz: "Farei o meu destino".

Há uma velha estória sobre um astrólogo que veio até um rei e disse: "O senhor irá morrer em seis meses". O rei ficou fora de si, completamente aterrorizado e estava quase a morrer de medo. Mas seu ministro era um homem inteligente e disse ao rei que os astrólogos eram tolos. Mas o rei não acreditava nele. Assim, o ministro viu que o único jeito do rei ver que eles eram tolos era convidar de novo o astrólogo. Lá, ele perguntou-lhe se seus cálculos estavam corretos. O astrólogo disse que não havia erro nenhum, mas, para satisfazê-lo, refez todos os cálculos e disse que estavam perfeitamente certos. A face do rei ficou lívida. O ministro então perguntou ao astrólogo: "E quando você pensa que irá morrer?" "Dentro de doze anos", foi a resposta. O ministro rapidamente puxou sua espada, separou a cabeça do astrólogo de seu corpo e disse ao rei: "O senhor vê este mentiroso? Ele acaba de morrer, neste momento."

IN: Meditação e Métodos, Swami Vivekananda.

domingo, 10 de julho de 2011

Religião: manancial de força ou de fraqueza? Excertos do livro "O homem à procura de si mesmo", Rollo May



Religião: Manancial de força ou de fraqueza? - o divino direito de ser protegido 

Palavras-chave: O divino direito de ser protegido; Filosofia Nietzchena; Psicologia Existencial-humanista Nietzscheana; Crítica de Nietzsche às religiões e à moral; Psicoterapia Existencial-humanista; Auto-conhecimento; Liberdade; O homem à procura de si mesmo; o problema da proteção paterna e das autoridades constituídas

Em qualquer discussão sobre a integração de religião e personalidade , o importante não é saber se a própria religião contribui para a saúde ou a neurose, e sim “que espécie” de religião e como é usada. Freud estava errado ao sustentar que religião é por si uma neurose compulsiva. Algumas são, outras não. Qualquer setor da vida pode ser utilizado como neurose compulsiva: a filosofia pode ser uma fuga da realidade para um “sistema” harmonioso, proteção da ansiedade e das desarmonias do dia-a-dia, ou pode ser um corajoso esforço para compreender melhor a realidade. A ciência pode ser utilizada como fé rígida e dogmática, por meio da qual a pessoa foge à insegurança emocional e às dúvidas, ou pode ser uma busca sincera de novas verdades. Desde que a fé na ciência tem sido mais aceitável nos círculos intelectuais de nossa sociedade e está, portanto, menos apta a ser questionada, é bem possível que em nossos dias esta fé represente com mais freqüência o papel de fuga compulsiva das incertezas do que a própria religião. Freud, contudo, estava tecnicamente certo ao fazer a pergunta correta em relação à religião: ela aumentará a dependência e manterá o indivíduo infantilizado?





sexta-feira, 8 de julho de 2011

Não sei o que é conhecer-me



Não sei o que é conhecer-me. Não vejo para dentro
Não acredito que eu exista por detrás de mim.


Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Código Penal da Vida Futura



18º - Os Espíritos imperfeitos são excluídos dos mundos felizes, cuja harmonia perturbariam. Ficam nos mundos inferiores a expiarem as suas faltas pelas tribulações da vida, e purificando-se das suas imperfeições até que mereçam a encarnação em mundos mais elevados, mais adiantados moral e fisicamente. Se se pode conceber um lugar circunscrito de castigo, tal lugar é, sem dúvida, nesses mundos de expiação, em torno dos quais pululam Espíritos imperfeitos, desencarnados à espera de novas existências que lhes permitam reparar o mal, auxiliando-os no progresso.


Código Penal da Vida Futura. IN: O céu e o inferno, Allan Kardec

Vamos meditar?


Olá pessoal!

E aí?? Estão todos praticando a meditação??

Os pensamentos não param de fluir na nossa mente não é mesmo?? São os mais variados pensamentos, porque mesmo aqui, nesse nosso espaço de estudos e aprendizados, estamos constantemente em competição uns com os outros - e isso em todos os lugares - porque a sociedade nos ensina desde o berço que devemos ser assim. Devemos ser os melhores, estar entre os melhores, "fazer o bem", e por isso sempre estamos postando e postando, escrevendo textos, mas duvido que cada um de nós, dedique o tempo que dedicamos a escrever, tagarelar e fazer projetos para o futuro, para a meditação, ou seja, para pensar em nós mesmos como Espíritos imortais que somos. Espíritos unos com Deus. E sem a meditação o que somos senão um conjunto de ilusões que acreditamos reais??