quinta-feira, 14 de abril de 2011

A Divindade dos Homens


Houve um tempo em que todos os homens eram deuses. Mas eles abusaram tanto de sua divindade que Brahma, o mestre dos deuses, tomou a decisão de lhes retirar o poder divino. Resolveu então escondê-lo em um lugar onde seria absolutamente impossível reencontrá-lo.
O grande problema era encontrar um esconderijo. Brahma convocou um conselho dos deuses menores, para juntos resolverem o problema.

- Enterremos a divindade do homem na terra, foi a primeira ideia dos deuses.
- Não, isso não basta, pois o homem vai cavar e encontrá-la.
Então os deuses retrucaram:
- Joguemos a divindade no fundo dos oceanos.

Mas Brahma não aceitou a proposta, pois achou que o homem, um dia iria explorar as profundezas dos mares e a recuperaria. Então os deuses concluíram:
- Não sabemos onde escondê-la, pois não existe na terra ou no mar lugar que o homem não possa alcançar um dia.

Brahma então se pronunciou:
- Eis o que vamos fazer com a divindade do homem: vamos escondê-la nas profundezas dele mesmo, pois será o único lugar onde ele jamais pensará em procurá-la.
Desde esse tempo, conclui a lenda, o homem deu a volta na terra, explorou escalou, mergulhou e cavou, em busca de algo que se encontra nele mesmo.

2 comentários:

  1. O credo niceno e todos os concílios posteriores construíram uma religião que faz os homens sentirem-se a escória do Universo.

    ResponderExcluir
  2. Essa foi boa rsrs. E o pior é que é verdade. Mesmo nos livros do Pós-Kardec, lembro-me como se fosse hoje, que mesmo os chamados "Espíritos Superiores", escrevem no final do preâmbulo de suas obras "Do servidor inútil", "Graças a ti senhor, porque de nós mesmos não podemos fazer nada", "subscrevo-me inutilmente, o servidor inútil..." e assim por diante.

    Coube a Nietzsche identificar a "moral como fraqueza" ("Senhor, tende piedade de nós!"), criando o conceito de Além-homem.

    Mas por outro lado, na tradição oriental encontramos em Vivekananda e outros que nós somos o Atman, e mesmo em Jesus, que "há dentro de nós uma sementinha de mostarda que, cultivada, se torna grandiosa".

    É esse mesmo o objetivo deste blog: essa cultura cristã vem sendo transmitida por nossos pais e avoengos, porque também a eles foi dito que não eram nada, que eram imprestáveis e inúteis, e assim se reproduz uma sociedade doente, centrada na fraqueza espiritual. Essa fraqueza é escondida nos esforços que o homem faz para "criar" do ponto de vista exterior, como se fosse um autômato ou uma máquina que só presta a servir a interesses materiais mundanos dominantes, já que depois da morte supostamente tudo se desintegrará. Pobre civilização ocidental... Mas tudo está em nossas mãos. O poder de descobrir o deus que há em nós está em nós mesmos, não adianta pedir ao padre, ao sacerdote, ao médium que recebe o sábio Espírito fulano de tal. Tudo depende de nós, unicamente de nós!

    ResponderExcluir

Comente esse texto