domingo, 3 de abril de 2011

Antropologia do Conhecimento e Filosofia Oriental


Bom, como estamos debatendo sobre a questão das ilusões, lembro-me de um detalhe constantemente pontuado pelos cientistas dualistas.

Alguns deles, retomando o discurso dos filósofos naturais dos sécs. XVII e XVIII, como Galileu, Huygens, Newton e outros, mas principalmente Galileu, asseveram que "a Natureza é o livro de Deus, e ele foi escrito em caracteres matemáticos".

Sei que é muito bonito e aparentemente lógico esse raciocínio - eu mesmo o defendi outrora e alhures -, mas a verdade é que a Matemática, enquanto construção simbólica do animal simbólico (Ser Humano ou Espírito Humanizado), é só uma ferramenta da razão para CRIAR e REPRESENTAR a REALIDADE SIMBÓLICA.

Aliás, esse é o fundamento básico da Antropologia: não existe nenhuma realidade objetiva. O mundo tal qual nós o entendemos, tal qual nós o exploramos e o compreendemos, é um mundo CRIADO PELA RAZÃO.



Um MUNDO OBJETIVO, seria um mundo em que não houvesse seres pensantes, ou seja, seres simbólicos. Ou ainda, seria como existir na Terra apenas animais, mas não o homem. Aí sim existiria uma realidade objetiva.

Mas, a partir do momento em que a razão simbólica oonstrói conceitos e reprentações para tornar o mundo inteligível, e também tornar inteligível as próprias relações sociais e de poder, o que existe é um mundo "feito à imagem e semelhança da razão" (Bachelard).

Não existe nenhuma matemática "objetiva", pairando no ar, como se Deus fosse um geômetra. Não! O homem é que criou o deus-geômetra à sua imagem e semelhança.

É como você pegar a poderosa argumentação racional-lógica da teologia de Tomás de Aquino no afã de provar a existência de Deus. É formidável a argumentação dele em prol da existência de Deus, mas ainda assim, não deixa de ser um deus fictício, criado pela razão, criado à imagem e semelhança da razão.

Donde cabe concluir que, o animal simbólico, em apenas construindo representações, conceitos e idéias sobre a realidade, e portanto criando e recriando uma REALIDADE SIMBÓLICA, todas essas representações são ILUSÓRIAS, mesmo porque elas são recriadas de tempos em tempos.

É assim que, numa época a Terra era plana; noutra ela era o centro do universo, e hoje sabe-se que existe mais matéria nos espaços inter-galáticos do que nos centros massivos de aglomerados e superaglomerados de galáxias.

Tudo é ilusão! Como acabar com ela? --> Parando de construir, ou melhor, de acreditar nas representações sobre a realidade - principalmente quando uma delas se arroga o título de "verdade". Exemplos: "uma estrela é uma usina que converte hidrogênio em hélio e isto é que faz gerar a luminosidade". Reparem, que esta é apenas uma representação simbólica do que é uma estrela. Quem garante que essa representação corresponda à realidade do "que é uma estrela"?

Dizer que as Plêiades estão no céu numa homenagem prestada por Zêus, que raptou Alcíone, uma das sete irmãs, filhas do rei Agenor, é uma representação simbólica tão convincente quanto dizer que as Plêiades são um grupo de estrelas jovens na faixa de 100 milhões de anos cuja cor branca, representa a grande quantidade de hidrogênio presente nessas estrelas, bem como os gases emanados são de temperatura elevadíssima.

Ninguém nunca viu uma gravidade, contudo, a razão simbólica diz que ela existe, e que "um corpo atrai outro na razão direta entre as massas e na razão inversa da distância que as separa" (Newton, I. Princípios Matemáticos de Filosofia Natural).

Essa linguagem aí é a linguagem de Deus ou ela foi construída pela razão humana?

Será que Newton leu o "Livro de Deus", ou seja, a Natureza, e, em observando-a, descobriu a Lei de Gravitação Universal dos corpos?? Ora, se sim, isto é o mesmo que dizer que há uma realidade objetiva nesse "Livro de Deus"; é proclamar a ilusória dicotomia sujeito-objeto!

Segundo Swami Vivekananda a gravidade estava na mente de Newton, e ao observar uma maçã caindo, ele a retirou da sua mente, e não que ela estava escrita em caracteres matemáticos na Natureza, antes, foi uma construção simbólica da razão, e que hoje já foi desbancada pela Teoria da Relatividade, que postula a gravidade como conseqüência da deformação do espaço-tempo pelos corpos massivos, como o Sol por exemplo.

Aliás, a Teoria da Relatividade não é senão só mais uma representação simbólica do que seja a gravidade.

Tudo o que é exterior ao Espírito é ilusório, e as representações simbólicas da realidade, operadas pelo pensamento, são todas construções simbólicas e ilusórias da razão humana.

Como dizíamos anteriormente, "a alma não pensa". Parece absurdo dizer isso, mas vejamos: se a alma "pensasse", nos termos em que pensa o ser humanizado, ela não faria senão construir representações, conceitos e idéias sobre Deus, o paraíso e as bem-aventuranças. Quer dizer, ela nunca teria o conhecimento de Deus, que aliás, é o caso do ser humano, que construiu e elaborou muitas teorias sobre o que e como é Deus, mas elas são todas fictícias.

3 comentários:

  1. Henri Durville (A Ciência Secreta - volume IV - pág. 182/183), assim diz:

    Rud Steiner exprime-se assim, a respeito da iniciação:
    "No homem, o eu superior está em constante
    evolução mas é somente pela calma e segurança que se pode assegurar a essa evolução uma regularidade normal.”
    "Os redemoinhos da vida exterior viriam de todas as partes recalcar o ser interior se o homem se deixasse dominar por essa vida, em lugar de a dominar ele mesmo”.
    "Acontece com ele como uma planta que deve brotar das fendas de um rochedo, ela definha se lhe não dão espaço.
    Ora, não há forças exteriores que possam dar espaço ao eu interior, pois só a calma interior que ele cria na sua alma pode produzir esse efeito. As circunstâncias exteriores não podem
    modificar senão a sua situação relativa ao mundo exterior; nunca poderiam despertar o homem espiritual. É em si mesmo e por si mesmo que o discípulo deve engendrar um ser novo e mais elevado”.
    "Esse homem superior torna-se, com o andar do
    tempo, o soberano que, com a mão segura, dirige a conduta do homem exterior."

    ResponderExcluir
  2. Olá!!

    Citar: Atlante

    "Nossos amigos ilusionistas criaram um post só para eles."

    http://www.forumespirita.net/fe/outras-doutrinas-espiritualistas/como-surgiu-a-ilusao/msg144456/#msg144456

    Hehehehe ;)

    Olá,

    Essa citação sua parece ser uma modalidade de concepção que se encaixa nesse contexto, qual seja, renegar os valores tidos verdades pela opinião pública (Nietzsche), para nos tornarmos "simples e calmos como as pombas, porém, prudentes como as serpentes" o:

    O dim-dim me escreveu algo dizendo que, na verdade, todos esses nossos posts só tem como objetivo disciplinar os é egos. rsrs

    Vamos esperá-lo, para que ele possa explicar melhor então, como seria uma postura de transcender ego, e não apenas educá-lo.

    ResponderExcluir
  3. Marco,

    Esse post meu é uma resposta à alguns questionamentos seus:

    http://www.forumespirita.net/fe/outras-doutrinas-espiritualistas/como-surgiu-a-ilusao/msg146342/#msg146342 lembra-se??

    ResponderExcluir

Comente esse texto